O Ceratocone é uma doença progressiva, hereditária que se desenvolve geralmente na adolescência, provocando o afinamento e deformação da Córnea e faz com que adquira formato cônico e irregular, resultando em visão distorcida de ambos os olhos. Necessita de diagnóstico precoce para interromper sua progressão e permitir um tratamento bem-sucedido.

Estima-se que a doença atinja 1 caso para cada 2.000 pessoas (0,05%). Porém, esta incidência parece ser bem maior em séries de estudos de screening, chegando a 6% das pessoas com interesse em realizar Cirurgia Refrativa.

View Video

View Video

View Video

No tratamento do Ceratocone nos estágios iniciais, pode ser indicado o uso de óculos. Com a evolução da doença, as lentes de contato estão indicadas. Nos casos de má adaptação às lentes de contato, o anel de ferrara pode ser a alternativa mais segura.

Muitos casos de Ceratocone são diagnosticados como Astigmatismo irregular (distorção da imagem causada pela alteração da curvatura normal da córnea) ou Miopia.

O diagnóstico do Ceratocone tem aumentado muito nos últimos anos. Um número cada vez maior de míopes procurando a cura pelo Excimer Laser, se submetem ao exame de topografia corneana, identificando assim, Ceratocone, que é uma contraindicação para Cirurgia Refrativa.

Segundo o especialista Dr. Gustavo Bonfadini, relata que muitas vezes pacientes perguntam: Ceratocone tem cura? Visão embaçada e distorcida nem sempre é apenas Miopia: fique atento aos sinais do Ceratocone. Veja aqui mais sobre o tratamento do Ceratocone.

O tratamento do Ceratocone tem como objetivo tentar evitar uma piora da doença, e proporcionar uma boa visão, garantindo conforto na utilização dos recursos que serão empregados e principalmente preservar a saúde da córnea. As alternativas de tratamento de modo geral são avaliadas nesta ordem: óculos, lentes de contato, e Cirurgias para Ceratocone.

Na experiência do especialista Dr. Gustavo Bonfadini, a progressão da doença está relacionada ao trauma contínuo. Com isso, o hábito de coçar os olhos deve ser evitado, pois é o fator de risco mais bem definido para o aparecimento ou agravamento da doença. Por isso é importante tratar as alergias do paciente pois, o hábito de coçar os olhos está diretamente relacionado a piora da doença e perda de visão!

View Video

View Video

O acompanhamento constante da doença é importante, pois o Ceratocone é uma doença progressiva. Tanto o diagnóstico da doença como a verificação de sua progressão dependem de exames especiais, destacando-se a topografia da córnea (estudo da superfície), tomografia de córnea (estudo 3D), acuidade visual e refração (avaliação da óptica ocular).

Alguns exames oftalmológicos complementares são essenciais para uma acompanhamento adequado dos pacientes com Ceratocone.

Topografia Corneana ou Tomografia de Córnea – São exames capazes de avaliar as diversas curvaturas da Córnea. É um excelente instrumento para confirmar o diagnóstico de Ceratocone, mesmo quando os sinais característicos ainda não são observados. A localização do ápice e a progressão da doença podem ser visualizadas facilmente quando se analisam os mapas coloridos, o que permite classificar a doença.

Além da Topografia de Córnea, é de suma importância os seguintes exames complementares para a avaliação e acompanhamento do Ceratocone:

Paquimetria Ultrassônica – exame que avalia a espessura da Córnea (o Ceratocone geralmente cursa com um afinamento progressivo da Córnea).

Microscopia Especular de Córnea – faz a contagem das células da parte posterior da córnea (endotélio).

Mapeamento de Retina – é de extrema importância realizar o Mapeamento de Retina, para afastar qualquer perda de visão associada por doenças da retina ou do nervo óptico.

  • Óculos:

A primeira opção que o paciente recebe é a prescrição de óculos, na maior parte das vezes em casos iniciais da doença, quando o astigmatismo irregular ainda é baixo e é possível obter uma boa acuidade visual (visão). Quando há um avanço da doença, na maior parte das vezes, a acuidade visual (visão) satisfatória não corresponde a qualidade visual, ou seja, o paciente pode ler as letras na Tabela de Snellen (tabela utilizada para verificação da visão do paciente na consulta médica com Oftalmologista) mas a qualidade da imagem não é precisa.

  • Lentes de Contato:

A partir do momento em que os óculos não conseguem fornecer uma visão satisfatória, a lente de contato é a próxima alternativa. Em determinados casos, as lentes gelatinosas para a correção do Ceratocone possibilitam adaptação perfeita. Em outros, os pacientes adaptam-se melhor com as lentes rígidas gás permeável ou lentes esclerais e semi-esclerais.

A adaptação de lentes de contato no Ceratocone deve ser feita por médicos oftalmologistas experientes que possam dar o devido acompanhamento e orientação ao paciente. Com isso proporcionando a melhor visão possível, principalmente assegurando a saúde fisiológica da Córnea do paciente.

View Video

View Video

View Video

View Video

As lentes de contato podem retardar ou estabilizar a progressão do Ceratocone?

Infelizmente não! Pois mesmo representando uma forma eficaz de melhora da visão

Uma lente mal adaptada ou de má qualidade pode causar erosão de córnea, ceratite, hidropsia seguida de leucoma, edema de córnea e infecções oculares.

Quando a cirurgia do Ceratocone está indicada?

O tratamento cirúrgico do Ceratonone está classicamente indicado com o objetivo de melhorar a visão e permitir reabilitação visual e para estabilizar a progressão da doença.

Quais procedimentos cirúrgicos podem ser indicados para casos de ceratocone?

O tratamento cirúrgico era exclusivamente o Transplante de Córnea até meados dos anos 1990. Porém, hoje há cirurgias alternativas que podem ser indicadas para o Ceratocone com diferentes objetivos em diferentes fases da doença, veja abaixo:

Cirurgias disponíveis no tratamento do Ceratocone:

  1. A) Cross-link (Crosslinking – CXL) de córnea no Tratamento do Ceratocone

View Video

O procedimento “Cross-link ou Corneal Cross-Linking” consiste no uso de radiação ultravioleta, associada a uma substância chamada riboflavina, aumentando a rigidez biomecânica da Córnea. No Crosslinking ocorre o fortalecimento das fibras de colágeno, que representam as pontes de sustentação da Córnea. Com o aumento da resistência, diminui-se a elasticidade da córnea, reduzindo a chance de a progressão do Ceratocone.

1) Tudo o que você precisa saber sobre Crosslinking – CXL:  Quando fazer a cirurgia de Crosslink ?

A indicação do Crosslink é quando ocorre piora e evolução do Ceratocone, documentado no exame de Topografia de Córnea e piora visual.

O Crosslink diminui os processos inflamatórios de afinamento da Córnea e reduz a possibilidade de piora da doença a longo prazo. Um aspecto a ser destacado é que o CrossLink não é indicado aos pacientes com córneas muito finas ou com cicatrizes. Os resultados de estabilização do Ceratocone, com consequente melhora da acuidade visual, também dependem de acompanhamento clínico.

Uma das principais causas do Ceratocone é a “fragilidade” do colágeno da Córnea.

Você sabe o que é Crosslinking? Segundo o especialista nesta cirurgia, Dr. Gustavo Bonfadini, o Crosslink de colágeno corneano (CXL) tem como finalidade criar novas ligações covalentes entre as moléculas de colágeno adjacentes, aumentando a resistência e a estabilidade da córnea e tem como finalidade impedir a progressão do Ceratocone. É uma técnica inovadora e revolucionária que veio para reduzir o número de Transplantes de Córnea.

2) Como é feito o Crosslink (Crosslinking)?

Modelo esquemático das 6 camadas da Córnea:

No protocolo tradicional de Crosslinking, o procedimento é realizado em um centro cirúrgico, e após anestesia tópica (com colírio), o Epitélio, camada mais externa da Córnea, é removido. Na sequência gotas de Riboflafina (Vitamina B2 – que funciona como substância foto-sensibilizadora) são aplicadas na córnea por 30 minutos para que penetre no estroma, camada de sustentação da córnea. Após a verificação da saturação da camada do Estroma da Córnea, procede-se com a aplicação de radiação ultravioleta A (UVA) por 30 minutos, com comprimento de onda de 370 nm e 3mW/cm2. Durante esta etapa mais gotas de vitamina B2 são utilizadas.

O procedimento é concluído com aplicação de uma lente de contato protetora, que vai proteger a Córnea e permitir alívio de possível desconforto local, funcionando como um curativo na Córnea.

3) Como é o Pós-Operatório do Crosslink de Córnea (CXL)?

Ao término do Crosslinking, são indicados uso de colírios: lubrificante, anti-inflamatório e antibiótico por 14 dias após o procedimento.

Geralmente o paciente consegue retornar as suas funções escolares ou de trabalho após 7 dias da realização do Crosslinking.

4) Quanto tempo leva para que o Crosslinking tenha o efeito pretendido?

A Córnea, através Cross Link, tem sua resistência e rigidez aumentada tão logo termina a aplicação da luz ultravioleta e esta resistência se acentua ainda por alguns dias após o término do procedimento. Após 3 meses ao procedimento já se considera que a córnea está em formato e com rigidez pretendida, e como resultado final a progressão do Ceratocone ou a evolução da ectasia de córnea é interrompida.

5) Como surgiu a cirurgia de crosslinking?

A idéia original da reação foto-química entre a vitamina B2 (Riboflavina) e a luz ultravioleta A (UVA) para o enrijecimento e aumento da resistência bio-mecânica da córnea foi descrita pelo Dr. Theo Seiler, MD, PhD (Zurique, Suíça), que publicou os primeiros estudos e resultados.

Os estudos científicos demostram que o aumento na rigidez da Córnea possa ser de até 329%.

Atualmente, o “cross-linking” pode ser usado como terapia coadjuvante quando indicado Implante de Segmento de Anel Intracorneano. Essa complementação melhorou os resultados ceratométricos pós-operatórios, comparados com os resultados obtidos em pacientes submetidos apenas ao Implante de Segmento de Anel Intracorneano.

6) A cirurgia de Crosslink (Crossliking) da Córnea causa dor?

O procedimento é realizado com aplicação de colírio anestésico e não causa dor.

Após a cirurgia é comum o olho ficar vermelho e o paciente pode sentir desconforto, lacrimejamento e dor leve a moderada no local. Para evitar e minimizar estes sintomas, são prescritos analgésicos e antinflamatórios (colírio e comprimido) que auxiliam na rápida recuperação do paciente. Após os primeiros 2 dias, os sintomas diminuem bastante. Na maioria dos casos, a estabilização da visão ocorre após o primeiro mês, e alguns pacientes podem levar até 3 a 6 meses para melhora completa. Grande parte dos pacientes requer alguma forma de correção visual (óculos ou lentes de contato) após a cirurgia, com objetivo de obter melhor visão.

  1. B) Implante de Segmento(s) de Anel Intra-corneano no Ceratocone

Perguntas e respostas sobre implante de anel de Ferrara®.

Dr. Gustavo Bonfadini, esclarece sobre as dúvidas da cirurgia de anel intracorneano, as indicações, benefícios e cuidados no pós-operatório:

Esta técnica pode evitar o Transplante de Córnea que é um procedimento complexo devido ao risco de rejeição.

Outras possíveis indicações para o anel intracorneano são os Astigmatismos (irregularidades da superfície da Córnea) gerados por ectasia pós excimer laser, degenerações corneanas e Transplante de córnea.

View Video

Um aspecto importante deste tratamento, é que esta técnica é reversível, pode ser ajustada em caso de correção inadequada. O anel poderá ser removido em qualquer época. A cirurgia é realizada sob anestesia local. A cirurgia é rápida e indolor, permitindo assim uma recuperação rápida e a volta do paciente às atividades normais em pouco tempo.

1) O que é e qual objetivo do Segmento de Anel (anel intra estromal)?

O anel intracorneano (Kerarings ®, Anel de Ferrara ® ou Intacs ®) é uma órtese transparente composto de um material inerte e biocompatível ao olho, de formato semicircular, de espessuras e diâmetro variáveis.

O objetivo do anel é regularizar e diminuir a curvatura corneana, e consequentemente melhorar a visão. Além disso, esse dispositivo é capaz de diminuir ou corrigir os erros de refração da Córnea de um paciente com Ceratocone.

Assista nosso vídeo que explica mais sobre Ceratocone:

2) Quando o implante de Anel de Ferrara é indicado? 

Segundo o especialista nesta cirurgia, Dr. Gustavo Bonfadini, o  implante é indicado para os casos de Ceratocone em qualquer faixa etária, que têm baixa visão com óculos de grau ou lentes de contato ou ainda intolerância às lentes de contato, e que ainda não têm indicação para transplante de córnea.

A melhor indicação de tratamento com uso do anel corneano é no estágio moderado do Ceratocone, pois tem como objetivo tentar melhorar a estrutura da córnea e regularizar as deformações corneana, e tentar corrigir ou diminuir os erros de grau associados a esta córnea. O anel intracorneano é fabricado a partir do PMMA (polimetilmetacrilato), material comprovadamente inerte, biocompatível, não havendo risco de rejeição, pois este material é utilizado há décadas na fabricação de implantes intra-oculares.

3) O Anel pode ser implantado em todos os casos de Ceratocone ?

Esta é uma pergunta muito frequente, porém nos casos de Ceratocone avançado, com opacidade, cicatriz corneana e em córneas muito finas há contra-indicação ao uso do anel. Assim, uma avaliação oftalmológica completa será necessária, incluindo biomicroscopia (análise da transparência),  Topografia de córnea (análise da superfície corneana) e Paquimetria (medida da espessura corneana).

4) Como é feito o implante do Anel de Ferrara?

Dr. Gustavo Bonfadini,  explica que é aplicada anestesia local por meio de colírio, sem necessidade de internação. Atualmente este procedimento é idealmente realizado por meio de um Laser de Femtosegundo. Com o uso do Laser, não há corte com bisturi, fazendo com que a incisão seja criada a partir de uma fotodisrupção (separação) das lamelas da córnea, confeccionando assim um túnel no interior da Córnea. Exatamente conforme planejado pelo cirurgião especialista em córnea, conferindo uma maior previsibilidade e eficiência no implante do anel.

Em seguida, acontece o implante de 1 ou 2 seguimentos de anel. A cirurgia dura em média 30 minutos. Os segmentos vão tentar o aplanamento do ápice da córnea tentando deixá-la o mais próximo do natural. Esta técnica é reversível, sem danos para a córnea, e não é uma técnica refrativa, ou seja, o paciente deverá utilizar óculos ou lente de contato após a cirurgia de Ceratocone.

A recuperação é rápida e o paciente percebe melhora na visão nos primeiros dias.

5) Quais as vantagens do implante do Anel de Ferrara com uso do  Laser de Femtosegundo ?

Dr. Gustavo Bonfadini, relata que no implante do Anel de Ferrara com uso do Laser de Femtosegundo, as incisões e o túnel para implante dos anéis intracorneanos podem ser moldados e posicionados com um elevado grau de precisão:

Trajetórias pré-programadas para todos os segmentos de anel;

Opção para personalização da trajetória;

Dois túneis diferentes na córnea;

Duas diferentes profundidades na córnea;

Possibilidade de um ou dois túneis na córnea;

Dois túneis separados ou um anel completo de 360°;

Duas opções de corte na vertical (cut on /off) na córnea;

Fácil inserção do anel graças à confecção completa.

6) Quais as vantagens do implante do Anel de Ferrara sobre o transplante de córnea?

Conceitualmente o implante do Anel de Ferrara apresenta importantes vantagens sobre o transplante de córnea, Dr. Gustavo Bonfadini, cita as principais:

Procedimento extraocular: O procedimento de implante do anel intraocorneano é realizado sob anestesia tópica, o paciente volta para casa no mesmo dia logo após a cirugia.

Reversibilidade: o anel corneano pode ser removido e a córnea retoma suas dimensões originais pré-implante.

Reajustabilidade: o anel pode ser substituído ou reposicionado caso necessário para melhora do resultado obtido.

Estabilidade: os resultados se mantêm ao longo do tempo.

Previsibilidade: os resultados são reprodutíveis.

É uma cirurgia indicada em Ceratocone de grau não muito avançado, em que a córnea precisa ter uma boa espessura para que o anel possa ser introduzido. O anel não impede, caso seja necessário, transplante de córnea no futuro.

Nos casos avançados, onde a córnea apresenta afinamento importante, e ou cicatrizes no ápice da deformação corneana, a indicação cirúrgica mais adequada volta a ser a do transplante de córnea.

7) O uso do anel de Ferrara (Anel intraestromal) vai corrigir completamente a visão?

O segmento de anel é uma órtese, assim, seu objetivo é regularizar a superfície corneana, de tal forma que a visão possa ser restabelecida de forma complementar com o uso de óculos ou mesmo de lente de contato.

Após a cirurgia de Anel de Ferrara a visão melhora progressivamente, havendo flutuação da visão no período pós-operatório. Após algumas semanas há estabilização da visão.

É importante lembrar que muitos pacientes com Ceratocone, antes do implante de Anel de Ferrara, tinham como única alternativa o Transplante de Córnea, que freqüentemente necessitam de óculos ou lentes de contato para a reabilitação visual final.

8) Qual a diferença de colocar 1 ou 2 anéis?

Conforme o estágio de evolução do Ceratocone, sua alteração na córnea, por exemplo, se ele é mais inferior ou mais central, o médico oftalmologista especialista em córnea vai usar um normograma para decidir se vai usar 1 ou 2 anéis e qual a posição deles na córnea. Ou seja, é um critério técnico.

9) O Segmento de Anel estabiliza o Ceratocone?

Não, o único procedimento que atua estabilizando o ceratocone e impedindo a sua progressão é o Croslinking de córnea.

Porém, o implante do anel estromal pode retardar a evolução do Ceratocone ao deixar a córnea mais firme como um todo, lentificando inclusive uma possível evolução para a necessidade de um Transplante de Córnea. Outro aspecto importante é que em muitos casos após o implante de segmento de anel estromal, o paciente passa a ficar mais cuidadoso e ter atitude de não coçar mais os olhos, reduzindo assim as chances de piora da doença.

Dr. Gustavo Bonfadini, relata que frequentemente observa no consultório uma alteração (para melhor) na personalidade de pacientes que, após tratamento, conseguiram recuperar parte de sua capacidade visual e, em consequência, recuperaram a esperança de que poderão ter uma boa qualidade de vida.

Para entender melhor sobre o implante de Anel de Ferrara e solucionar todas as suas dúvidas, agende agora uma avaliação completa com Dr.Gustavo Bonfadini.

É importante informar que a cirurgia de implante do anel intraestromal na córnea para o tratamento do Ceratocone é regulamentada e autorizada pelo Conselho Federal de Medicina através da RESOLUÇÃO CFM N0 1.762/05 (Publicada no D.O.U. 26 Jan 2005 ,Seção I , p. 90)

3) Implante de Lente Intraocular (LIO) Fácica no Tratamento do Ceratocone

As lentes intraoculares fácicas de câmara posterior são uma excelente alternativa de correção da visão de pacientes que não podem se beneficiar da cirurgia de implama laser. Elas são indicadas para pacientes que apresentem graus elevados de Miopia, Hipermetropia e Astigmastismo, ou Córneas muito curvas ou finas e em pacientes com Ceratocone – situações onde a cirurgia a laser não são recomendadas. Nesta modalidade de cirurgia, as lentes são implantadas e fixadas à íris (ex: lente de Artisan), na frente da íris (ex: lente Vivarte), ou atrás da íris (ex: lente ICL).

A Lente Artisan – feita de polimetilmetacrilato (PMMA), material inerte empregado para implantes em cirurgias intraoculares – é a lente ocular fácica mais comumente usada no mundo, com um longo histórico de sucesso. Essa lente pode ser usada para corrigir uma alta Miopia (de -5,0 D a -20,0 D) ou corrigir uma alta Hipermetropia (de +5,0 D a +10,0 D). A Lente Artisan tórica pode ser utilizada em graus elevados de astigmatismo, que necessitam de correção.

Vantagens das Lentes Artisan:

– A cirurgia pode ser realizada em paciente com córnea fina e córnea irregular;

– São potencialmente reversíveis;

– Permitem recuperação visual rápida;

– Preservam a acomodação (capacidade de enxergar para longe e perto) em pacientes jovens;

– Boa qualidade de correção da visão;

– Boa precisão de correção da visão.

Os riscos potenciais da cirurgia de implante de Lentes Fácicas, como em qualquer cirurgia intraocular, incluem a possibilidade de infecção e por essa razão é tratado um olho de cada vez, com um intervalo mínimo de 4 semanas entre os tratamentos. Há também raros casos descritos de possibilidade de dano à estrutura interna do olho, o que poderia levar ao Glaucoma, inflamação da íris (uveíte), complicações da retina, Descompensação da córnea ou a formação de uma Catarata precoce. Nesses casos, a Lente Artisan deverá ser removida.

Por essas razões, aconselhamos aos pacientes que cumpram o compromisso de revisões pós-operatórias em longo prazo.

  1. C) Transplante de Córnea no Tratamento do Ceratocone

 

 

O transplante de córnea é uma cirurgia que substitui a córnea doente por outra saudável.

 

Dr. Gustavo Bonfadini, relata que o objetivo é sempre tentar evitar o Transplante de Córnea no paciente com Ceratocone. Porém caso seja necessário a técnica cirurgica recomendada é o Transplante de Córnea Lamelar Anterior, onde as camadas externas da córnea são substituídas.

Os casos de Ceratocone que progredirem para onde a correção visual não pode ser mais atingida com óculos e lentes de contato ou quando o afinamento da córnea se torna excessivo ou ainda em casos onde existam cicatrizes de Córnea (por Hidrópsia, Infecções, Traumas ou Distrofias) ou exista a presença de leucoma (opacificação corneana importante), o Transplante de Córnea se torna necessário.

A Ceratoplastia Lamelar é uma técnica cirúrgica de Transplante de Córnea utilizada no tratamento de patologias que afetam a região anterior e estroma médio corneano. É um procedimento extra-ocular que oferece uma adesão tecidual eficiente no pós-operatório imediato e reabilitação visual rápida, com mínimo risco de rejeições e outras complicações a longo prazo em comparação com o transplante de córnea com espessura total da córnea convencional.

O mais recente avanço para o tratamento cirúrgico do Ceratocone em transplante é o refinamento da técnica de Transplante de Córnea de espessura total (Transplante Penetrante) por um Transplante de espessura parcial (Transplante Lamelar). Trata-se do implante da córnea mantendo o endotélio do paciente. Com a nova técnica, é possível que esses pacientes recuperem a capacidade visual com menor risco de rejeição.

–  Ceratoplastia Lamelar Anterior Profunda (DALK)

Segundo o Dr. Gustavo Bonfadini, especialista nesta técnica cirúrgica e desenvolvedor de material cirúrgico para melhorar o resultado desta técnica: “O Transplante Lamelar Anterior Profundo é realizado, preservando-se a camada interior da córnea – chamada de endotélio. Essa técnica é importante, por diminuir a probabilidade de rejeição e melhorar os resultados quando comparada a técnica cirúrgica tradicional.” Retira-se somente o estroma corneano (a parte doente da córnea), mantendo-se a membrana de Descemet e o Endotélio. A técnica conhecida como “Big Bubble”, na qual se separa a membrana de Descemet do estroma utilizando uma bolha de ar é a mais utilizada.

A técnica conhecida como “Big Bubble” (Grande Bolha), é mais difícil de ser realizada, mas representa uma boa opção quando a parte interna da córnea (endotélio) está saudável.

 

https://www.katena.com/bonfadini-dalk-spatula-k3-1877

 

DEPOIMENTOS: 

Depoimento de paciente submetido a transplante de córnea: Cilber Santos recomenda Dr.Gustavo Bonfadini: “Profissional com nível de excelência profissional máximo. Responsável direto por hoje eu estar aqui digitando estas palavras. Sou um bi transplantado de córneas que obteve sucesso total nos resultados pós transplantes. Dr.Gustavo Bonfadini agradecimento total por toda minha existência. Além de todo respaldo profissional, existe nele um ser humano fantástico e singular nos dias de hoje. Forte abraço meu amigo e que Deus o guie e guarde sempre.”

Veja reportagem mostrando a experiência de superação do Sr.Cilber Santos:

Sonia Malta 

– Quero registrar o meu profundo agradecimento para o Dr. Gustavo, primeiro por não estar cega e depois por toda atenção, assistência e total profissionalismo, fui a vários, mas ele faz o diferencial!! Muito obrigada por tudo!!!”

Rosa Maria

– Quero deixar meu agradecimento e profunda admiração pelo Dr. Gustavo e toda sua equipe. Além de profissionais altamente competentes e gabaritados são seres humanos incríveis. Minha mãe chegou ao seu consultório com a córnea em péssimo estado, e com o atendimento tão atencioso e minucioso dele, ficamos confiantes no transplante de córnea. Ela se submeteu ao transplante e em poucos dias a melhora já é visível. Que trabalho maravilhoso! Obrigada Dr. Gustavo por ser um profissional exemplar e humano, o que fez toda a diferença na autoestima dela. Que Deus o recompense!”

Andrea Alves

– Dr.Gustavo Bonfadini excelente médico atencioso obrigada por tudo no meu transplante de córnea.”

Rosa Maria Cruz

– Parabenizo o Dr. Gustavo Bonfadini pelo profissionalismo e competência na situação que vivenciei.

Em todos os momentos demonstrou uma capacidade extrema e muita confiança, conseguindo um êxito total. Obrigada por tudo! Que Deus o abençoe sempre!”

Aglaé Dias

– Dr.Gustavo, parabéns por sua competência e amor ao próximo, requisitos esses que são fundamentais em qualquer profissão. Sua equipe também está de parabéns. Deus e Santa Luzia continuem abençoando sua caminhada.”

Saiba mais sobre: Transplante Córnea

Visite a página no Instagram Dr.Gustavo Bonfadini: https://www.instagram.com/gustavobonfadini/

Visite a página no Facebook Dr.Gustavo Bonfadini: https://www.facebook.com/pages/category/Doctor/DrGustavo-Bonfadini-358660714622734/

COMPARTILHE o vídeo e ajude outras pessoas com estas informações!

Lembre-se: Este texto visa informar o público e não substitui a avaliação de um médico oftalmologista, que é o único profissional capacitado para realizar o diagnóstico preciso e indicar o tratamento específico para cada caso. Portanto, não pratique a auto-medicação e procure sempre o seu médico.